O Egas
Pesquisa

História da Freguesia de Avanca - Parte II
Por Rui Jorge Pinto Teixeira (Administrador do Jornal), em 2011/12/121532 leram | 0 comentários | 230 gostam
Conclusão da resenha histórica submetida pelo leitor Marco Pereira
Em Avanca realizaram-se várias feiras e mercados. Em notícia de 1758 consta que se fazia uma Feira de Santo André. Nos séculos XIX e XX houve a Feira dos 2, intermitente e extinta. Finalmente a Feira dos 19, em Água Levada (1919), e mais tarde em S. Sebastião. Quanto ao Mercado de Avanca (século XX), começou por ser às quartas-feiras, mais tarde também às sextas-feiras (continua hoje nestes dois dias), e chegou a preencher igualmente os dias 19.

Desde a Idade Média atravessava Avanca a Estrada Real, que unia Aveiro ao Porto, actualmente substituída pela E.N.109. A Linha do Norte dos caminhos-de-ferro passou pela freguesia em 1862, e anos mais tarde ali se estabeleceu um apeadeiro (1887), depois promovido a estação (1913 e 1931), possuindo o edifício actual interessantes painéis de azulejos (1929). Mais recentemente abriram ao trânsito duas auto-estradas com nó de entrada/saída em Avanca, a A1 (1983) e a ex-IC1, actual A29 (2004).

Avanca é característica pelas suas várias casas de estilo senhorial ou solarengo, representantes de uma antiga pequena aristocracia local e agrária, aparentada entre si. A principal dessas casas é a do Outeiro de Paredes, sede de morgadio em tempos pertença dos Viscondes de Baçar.
Outra casa de relevo é a do Marinheiro, que pertenceu à família de Egas Moniz e foi por ele mandada reconstruir em 1915, sob projecto de Ernesto Korrodi. Hoje é a Casa Museu Egas Moniz (1968). António Caeteno de Abreu Freire Egas Moniz (1874-1955), principal figura ilustre da freguesia, distinguiu-se como Prémio Nobel da Medicina e Fisiologia, e enquanto político.

Na área associativa o desporto tem fortes tradições, em particular com a Associação Atlética de Avanca (1937), ligada ao futebol, e a Associação Artística de Avanca (1954), com andebol. Na solidariedade social, além do Centro Paroquial e Social de Avanca (com parte social desde 1992, e não social desde 1995), merece referência a Fundação Benjamim Dias Costa (1967), fundada por Adelino Dias Costa (1892-1976), industrial de móveis de ferro e grande benemérito de Avanca, como também o foi Júlio Neves (1881-1958).

Marco Pereira
Advogado em Estarreja

Mais Imagens:

Comentários

Escreva o seu Comentário